Tuesday, April 28, 2009

Pensar outra vez - EXPLORAÇÃO DO PROLETARIADO

Clique para ampliar e ler

Desidério Murcho discorre hoje (caderno P2 do Público)sobre os que pretendem que o Estado alimente as suas actividades pouco ou nada rentáveis, ainda que muito meritórias e socialmente relevantes.

Depois de ter marcado o terreno, na crónica da semana passada, fazendo a distinção entra a falsa esquerda e a verdadeira esquerda, toca a dizer que são falsos esquerdistas os intelectuais que pretendem ser dever do Estado (leia-se de nós outros, pagadores de impostos) financiar as suas estimáveis actividades.

Claro que são actividades intelectuais altamente meritórias mas, infelizmente, pouco ou nada interessantes para os campónios, proletas e quejandos, tão brutos agora que têm diploma da escolaridade obrigatória, carro, casa e senhora como eram quando analfabrutos, pé descalço e vivendo numa parte de casa ou numa barraca de bairro da lata.

Com a devida vénia ao Professor, permito-me discordar: um tipo de esquerda (verdadeira!) ou de direita (católico e praticante) pode ser candidato a abancar à mangedoura do Estado numa infinidade de funções e atitudes, continuando a prezar os valores superiores da esquerda ou da direita com solenidade, coerência e até proveito. Até me parece que os esquerdista da nossa praça, de papel passado e créditos firmados (Mário Soares, etc; desse género) têm precisamente essa visão em relação a uma coisa que eles chamam a Kultura.

A menos que se armadilhe o terreno, definindo a esquerda como a casa de todas as virtudes...

O que ela, decididamente, não é!

Sunday, April 26, 2009

CLUBE DAS VIRGENS... What?!!!!!!

Visite o blog do clube das Virgens mas sem malícia, sem malícia...

E visite também o clube das Relaxadas que tem pinta de ser interessante.

As imagens foram tiradas do suplemento P2 do Público de hoje

A donzelinha de 26 aninhos, ali ao lado, teve a ideia peregrina de fundar um clube de pessoas que, assumidamente, perfilham a mesma opção de vida (?): a virgindade ou, se preferirem, a donzelice, como diria o grande e saudoso Odorico Paraguaçu. Veja mais este sketch e delicie-se: a personagem (da telenovela O Bem Amado) era, de facto, espantosa, com um vocabulário pitoresco e muito, muito divertido.

Deixo aos meus queridos leitorzinhos a tarefa de imaginarem como serão os estautos do clube, nomeadamente como evitar que pessoas que já não estão como nasceram se inscrevam no clube para, desse modo, ganharem, perante a família, perante um futuro pretendente, um estatuto recauchutado.

Amanhã, no Porto, realiza-se um congresso sobre o desejo. A menina vai participar numa mesa redonda cujo tema é "O desejo do não desejo"!

Bem, vou mas é ver As donas de casa desesperadas que sempre são umas gajas reais, um bocado maradas mas maradas dentro do real.

O desejo do não desejo?! Give me a break!

Isto está lindo, está!

Saturday, April 25, 2009

O 25 de Abril e o cauteleiro membrudo

Um cauteleiro, figura típica de antes do 25 de Abril, andava com a pasta debaixo do braço, com algumas cautelas, cientificamente colocadas, meio expostas para atrair os incautos.

O cauteleiro entrou num pequeno mictório público onde se encontravam já vários utentes.

Chegando-se ao único posto disponível, o cauteleiro fez os preparativos da ordem e começou a função.

Nesse momento, olhando distraídamente (disfarçadamente?), o vizinho do lado reparou que o cauteleiro era excepcionalmente dotado, um verdadeiro Príapo.

De espantado que ficou, o vizinho deixou de disfarçar e fitou descaradamente as partes pudibundas e desmedidas do cauteleiro, com ar de quem estava a ver um disco voador, ou uma baleia na via pública ou, como era o caso, um verdadeiro nabo do Entroncamento.

Como a pasta (donde as cautelas espreitavam) estava do lado do espantado vizinho, o cauteleiro interpretou mal o olhanço e perguntou:

- Ó freguês, vai a taluda?

- Porra! Nem a aproximação! - foi a resposta .

25 de Abril - tudo é relativo

Para os comunas proletas, os PC's, mais os comunas caviar, os BE's, o "espírito" de Abril" perdeu-se nos meandros do PREC e levou a machadada final no 25 de Novembro.

Para os democratas (percebem a diferença, a dicotomia, entre comunas e democratas?) o espírito de Abril, se algum houve, recuperou-se no 25 de Novembro.

Uns choram hoje o falhanço da sua sociedade sem classes tendo a Sóvia e as "democracias populares" por modelo; os outros saúdam o que ficou do 25 de Abril: a Liberdade e a Democracia (ou pelo menos o fim da ditadura), o fim da guerra, a normalidade de vida que nos levou à integração na Europa.

É tudo uma questão de ponto de vista.

Mas vamos ao que interessa, que o 25 de Abril é um fait divers com 35 anos ao qual os putos (felizmente) não ligam nenhuma: "O quê? não podiam votar nem ler um jornal qualquer e vocês iam nisso, vocês deixavam?! Gandas tansos!" - realmente não cabe na cabeça de ninguém que a normalidade actual alguma vez tenha estado suspensa de um Estado Novo qualquer ainda por cima com um campónio de sacristia à frente...

Ouçam esta (também via Lam):

Ao fim da tarde, um ginecologista aguarda a sua última paciente, que não chega.

Depois de 30 minutos de espera, ele supõe que esta já não virá e resolve tomar um gin tónico para relaxar antes de voltar para casa. Instala-se confortavelmente numa poltrona e começa a ler o jornal quando toca a campaínha. É a paciente que chega, toda esbaforida, e a pedir desculpas pelo atraso.

- Não tem importância - responde o médico. - Olhe, eu estava a beber um gin tónico enquanto a esperava. Quer um também para relaxar um pouco?

- Aceito com prazer - responde a paciente aliviada. Ele serve-lhe um copo, senta-se na sua frente e começam a conversar sobre banalidades. De repente ouve-se um barulho de chave na porta do consultório. O médico tem um sobressalto, levanta-se bruscamente e diz:

- A minha mulher! Rápido, tire a roupa e abra as pernas!

Na vida tudo é tão relativo!!...

Thursday, April 23, 2009

OTELO CORONEL - ERA MESMO O QUE ME FALTAVA...

ACTUALIZAÇÃO:

Afinal o grunho acha que é pouco (perto de sessenta mil euros de retroactivos) e que devia ter sido promovido com retroactivos a 1986, quando os seus colegas de curso foram promovidos.

Será que este grandecíssimo cabrão não se enxerga?!

__________________________________________________________________

O general Otelo, como lhe chamava a malta da extrema esquerda aí pela UDP, grupelho de Mendes, PUP, GDUP's e quejandos, o general Otelo, dizia eu, foi promovido a coronel. UAU!!!!

A promoção deveu-se a um suposto prejuízo que o "capitão de Abril" terá sofrido na sua carreira militar por ter estado metido no 25 de Abril.

Quem viveu (ou, pelo menos, assistiu com alguma atenção) os 10 anos do pós 25 de Abril apercebeu-se, certamente, de duas coisas:

Primeira, que o Otelo ganhou, com o 25 de Abril, uma projecção que nunca teria tido se tivesse permanecido à margem do golpe e do PREC que se lhe seguiu;

Segunda, que Otelo foi muito prejudicado na sua carreira militar (e cívica) por se ter ligado (de motu proprio) a movimentos de extrema esquerda e ter estado envolvido na rede bombista das FP 25 de Abril.

Assim, se Otelo tivesse sido um Abrilista com juízo tinha-se reformado como major general ou mesmo tenente general; como a cabecinha tonta o empurrou para o anarco-bombismo, lixou-se. Bem feita!

A lei da reconstituição das carreiras prejudicadas não lhe é, claramente, aplicável.

Só falta mesmo reconstituirem a carreira do major Valentim Loureiro, expulso do exército por se locupletar com as verbas para o rancho dos soldados e "perdoado" ao fim de muita insistência.

Mas se o louco e bombista do Otelo foi promovido, por que não também o guloso e tarado do Valentim?! Assim como assim só fez os soldados comerem pior, enquanto que o Otelo e os seus bombistas foram responsáveis por roubos e assaltos, incluindo vários crimes de morte.

Isto está bonito, está...

Tuesday, April 21, 2009

A MAIS ANTIGA PROFISSÃO

Com a devida vénia ao meu amigo Toni Ferreira, aqui fica esta pérola que ele me enviou:

"Dizem que a profissão mais antiga do mundo foi a prostituição.

Não posso concordar. Até porque não havia dinheiro quando o mundo começou e se para o homem bastava dar com uma moca na cabeça da mulher e arrastá-la para a sua caverna, porque carga de água haveria de pagar?

Dizem então que a primeira profissão deve ter sido um dos trabalhos mais básicos, como agricultura ou caça. Embora concorde que tenham sido das primeiras profissões, não creio que tenha sido a primeira , até porque no início não havia ferramentas para agricultura nem armas para caçar.

Sugerem então que tenha sido o ensino. Mas para ensinar é preciso aprender. É a história de quem veio primeiro, o ovo ou a galinha. Neste caso, o estudante ou o professor. Ninguém nasce ensinado, logo teria de estudar primeiro.

Mas no início não acredito que o homem tenha partido para esta actividade assim de arranque.

Temos de nos colocar na pele desse primeiro homem para perceber. Então, o homem aparece. Um homem, Adão, sozinho, sem saber o que fazer.

Qual a sua primeira iniciativa?

Obviamente, coça os tomates .

Assim sendo, a primeira profissão do mundo foi claramente...

funcionário público! "

Esquerda, direita, um, dois...

Clique na imagem para ampliar e ler

O prof Desidério perde-se hoje em reviravoltas para nos mostrar as virtudes da esquerda, as desvirtudes da falsa esquerda (ou o mais fino faux gauche) e os vícios da direita cujos "membros" não podem "...concordar com os ideais da esquerda genuína: que a racionalidade não é mera expressão de interesses e que é irracional proteger os interesses dos endinheirados contra os interesses dos despojados".

Daqui se depreende que quando um rico e um pobre vão a um tribunal da esquerda genuína, o interesse do "despojado" prevalece sempre sobre o do "endinheirado". Muito instrutivo!

Eu até posso pensar que percebo o que o prof quer dizer; mas o que ele de facto diz é que onde está a Virtude, aí está a esquerda. Onde a Virtude falta, aí reside a direita ou, quando muito, a falsa esquerda, onde a Virtude escasseia.

E viva o Kamarada Enver Hoxcha, Grande Líder!!!

NOKIA "PISTOL" - o telemóvel 100% seguro

O meu velho colega Lam, que nas últimas semanas me aparece com frequência na caixa do correio, divulga este interessante e seguríssimo modelo de telemóvel que a Nokia acaba de lançar.

Um verdadeiro multifunções!

Monday, April 20, 2009

Surpresa às 4 da matina

Quem havia de me dizer que eu tenho um mano que é um alto kota nas FAPLA?!

Isto assim, às quatro e meia da matina, até parece bruxedo, efeito dos copos ou coisa do género...

Ói mano, um dia destes vou até Luanda e talvez a gente se encontre.

Sunday, April 19, 2009

VIOLÊNCIA NA NOITE - ESPANCAMENTO OU EXECUÇÃO?

video

Se bem que este filme seja de Junho de 2008, só há pouco mais de uma semana o recebi. Trata-se de uma filmagem por uma câmara de vigilância, no Porto, e mostra um grupo de gandulos, pelo menos oito, a espancarem um outro tipo.

Ele tenta fugir mas é apanhado na entrada de um bar, dominado, espancado a pontapé (toda gente molha a sopa), cai no chão onde fica quase imóvel, sem sequer assumir a habitual posição fetal de defesa - fica de barriga para o ar, pernas esticadas e unidas, braços esboçando gestos vagos que não chegam para amortecer a chuva de pontapés (quase todos na cabeça) dados com balanço e num alvo imóvel.

A partir de certa altura, o cabecilha (ou, pelo menos, o que, desde o início parece ter o exclusivo das iniciativas) faz um gesto afastando ou outros e passa à finalização da execução.

Salta a pés juntos sobre a cabeça da vítima (foto abaixo), dá-lhe vários pontapés, com balanço, na parte lateral da cabeça, após o que se afasta e vai embora.

Da tal entrada do bar, de onde, durante a execução, alguém espreita de tempos a tempos (ver foto acima), sai um indivíduo que, aparentemente terá presenciado, de muito perto, toda a acção.

Não faço a mínima ideia do que se passou antes para gerar esta sede de vingança, ou esta determinação para executar (or else), mas o que me impressionou foi o cuidado posto pela generalidade dos intervenientes em bater "onde dói mais", na barriga e na cabeça, apontando cuidadosamente e tomando balanço como um futebolista que vai fazer um remate ao qual quer imprimir a máxima força. Uma verdadeira execução.

A não intervenção dos mirones não me espanta: contra uma verdadeira matilha daquelas, quem é que quereria ver-se no papel de vítima.

Está quieto!

De Junho a esta parte o que se terá passado? A vítima morreu? Os agressores foram identificados e processados?

Alguém me sabe dizer?

Thursday, April 16, 2009

SEM EIRA NEM BEIRA - A NOVA DOS XUTOS

Se ainda não ouviu a nova canção de protesto (é isso, certo?) dos Xutos & Pontapés, ouça agora: é só clicar Sem eira nem beira .

Parece que o Sócrates pensa que é com ele.

Será?!

"Senhor engenheiro,

dê-me um pouco de atenção

há dez anos que estou preso

há trinta que sou ladrão

mas eu sou um homem honesto

só errei na profissão!"

Wednesday, April 15, 2009

Cartas de cá - o ópio do povo

Paulo Varela Gomas, escrevendo de Goa, toca num assunto em que nunca tinha pensado: religiões dos ricos (brâmanes, neste caso), religiões dos pobres (os intocáveis, os mais pobres dos pobres).

Daqui, a religião pode desempenhar o papel de motor da promoção social do crente, desde qiue ele abrace a religião dos ricos e, cloro!, desde que os ricos o deixem abraçar a "sua" religião.

Mas... leiam o texto.

Tuesday, April 14, 2009

Realidades desagradáveis, com Desidério Murcho

Clique na imagem para ampliar e ler

O professor escreve na P2 de hoje sobre informação de qualidade versus palermices frívolas. Estas interessam a toda a gente; aquelas, a uma minoria de iluminados.

A impresa, a televisão, a radio publicam predominantemente "palermices frívolas" para conseguirem vender e captar publicidade para serem economicamente viáveis.

A internet vai pelo mesmo caminho...

Uma visão um bocado pessimista da realidade e da vida mas, se calhar, não anda longe da verdade.

Read the man.

Friday, April 10, 2009

I GOT LIFE!

Para não misturar, e deixar o Ne me quitte pas à parte, deixo-vos aqui o I got life (aint got no), da Nina Simone.

Oiça aqui .

E como isto das canções é como a ginguba, quando se começa nunca mais se acaba, ouça também o vozeirão da Nina cantando o emblemático I put a spell on you ('cause you're mine!), aqui e acoli, esta numa versão completa por uma Nina Simone mais madura.

NE ME QUITTE PAS...

Um tipo que não gostava dos franceses costumava dizer que todos os gauleses interessantes são belgas.

Maldaaaade!!!!

...mas a verdade é que muita da malta conhecida, vai-se a ver, não é francesa mas belga.

Há dias, ouvindo as "Canções da minha vida" na RTP 1, lá apareceu um cromo a lembrar Brel e o "nosso" Ne me quitte pas. Sublime - um apaixonado um bocado patético, mas uma canção sublime!

Oiça!

Se perceber francês, tanto melhor. Uns bocadinhos p'ra animar:

...chanter et puis rire, laisse moi devenir

l'ombre de ton ombre l'ombre de ta main,

l'ombre de ton chien, mais...

ne me quitte pas, ne me quitte pas, ne me quitte pas...

ne me quitte pas...

ne me quitte pas...

Moi, je t'offrirai des perles de pluie

venues d'un pays où il ne pleut pas.

Je creuserai la terre jusqu'après ma mort

pour couvrir ton corps d'or et de lumière.

Je ferai un domaine où l'amour sera loi

où l'amour sera roi, où tu seras reine, mais...

ne me quitte pas, ne me quitte pas, ne me quitte pas...

ne me quitte pas...

Se quiser ver a letra toda clique aqui . E oiça também a espantosa versão da Nina Simone, aqui.

(parece que estou a puxar para a adjectivação hiperbólica; deve ser do adiantado da hora...)

Wednesday, April 08, 2009

AINDA O PRESERVATIVO, OU A BATOTA DOS PUROS...

Clique na imagem para ampliar e ler

O católico praticante, defensor "da vida" e inimigo da "promiscuidade" que o preservativo proporciona e a que "incita", Vaz Patto, (foto do dito, ao lado), publicou há dias um artigo no Público em que defendia as posições do Papa Ratzinger sobre o preservativo e defendia que o seu uso era ineficaz, além de que o grande exito no combate à sida em África, no Uganda, se devia à abstinência (just say no!) e à não promiscuidade.

Afinal... leia a resposta ao lado e clique aqui (link para a ONU a que se refere o autor da carta).

Terá o Patto (para se distinguir de pato?) pecado contra o mandamento que prescreve "Não mentirás nem prestarás falso testemunho"?

Shame on you, duck!!!!

VISTA DA ÍNDIA - O ORCIDENTE

Clique na imagem para ampliar e ler

Paulo Varela Gomes escreve à quarta feira na P2, auplemento diário do Público. Tenho lido lá muita coisa interessante sobre a Índia, em particular sobre Goa, a Goa de hoje.

Sem sentimentalismos bacocos mas, quase sempre, observado de um ponto de vista muito peculiar.

A ler, pelo menos em diagonal, para ver o que escreve em cada semana.

Esta semana (hoje), por exemplo, surpreendeu-me com um texto sobre a velhinha discussão "infectada" sobre quem influenciou quem, se a arte "ocidental" esteve na raíz da arte indiana ou se, pelo contrário, aquela terá derivado desta.

E introduz o conceito de Orcidente, uma novidade para mim, leigo nestas matérias, mas muito interessante.

Read the man!

Tuesday, April 07, 2009

Pensar outra vez com Desidério Murcho

Clique na imagem para ampliar e ler

Bolas, que o Prof hoje está amargo que chegue. Ainda por cima com os indígenas deste lugar à beira mar plantado e com a sua falta de rigor e critério quando lhes dá para fazer livros. A atitude é várias vezes caracterizada como balda.

"Talvez porque a sociedade portuguesa é parcialmente pré-literária - à parte o poemazinho fácil, o romance morno e em geral o que se pode escrever nos intervalos da novela - a importância dos livros de qualidade para o ensino de excelência tenbde a ser esquecida".

"... sem livros de qualidade para estudantes, toda a aprendizagem fica refém do imediatismo, da oralidade superficial e fantasiosa, da balela e do diz que disse."
Read the man!

PAPOILAS DE JANEIRO... EM ABRIL

Depois da apresentação em Lagos, foi a vez da Biblioteca de Municipal de Cascais, em S. Domingos de Rana, receber a apresentação das Papoilas de Janeiro, da Fátima Santos, née Correia, textos, e T. C. Alves, desenhos.

Veja ou reveja aqui .

A sessão decorreu em ambiente descontraído e divertido. Desgraçadamente a autora dos textos proibiu-me de colocar aqui as filmagens...

OLHÓ BURACO!!!

video

Sem palavras...

KANDINSKY REVISITADO

A P2 trazia hoje a notícia de uma rectrospectiva, no Centro Pompidou, sobre Kandinsky . A pintura que acompanhava a notícia tinha (seria intencional?) a cabeça de um visitante que se enquadrava perfeitamente no quadro.

Não acham?

Veja mais aqui .

Wednesday, April 01, 2009

AINDA O OBAMA...

O texto que se segue é a reprodução de um artigo publicado na revista APOIAR, órgão da Associação para apoio ao ex-combatentes vítimas do stress de guerra.

Clique no link se quiser ver o resto da revista.

A Estrela do Obama

Tenho acompanhado a estrela Obama (quem não tem?!) desde que apareceu no firmamento da comunicação social, praticamente no início das últimas primárias, nos States.

Duas características o levaram de imediato a uma posição de destaque: a sua bela voz (e os dotes de orador, diria mesmo, de pregador) e, fatalmente, o facto de ser mulato. Para os camones ele não é mulato, é “negro”, mas a verdade é que para eles tudo o que não seja irlandês ou próximo disso, tem que levar algum rótulo que marque a sua condição de não branco: preto, hispânico, italiano, judeu, chinoca, índio, monhé e por aí fora.

Se bem que a última administração americana tenha tido vários “negros” em posições de destaque, incluindo dois Secretários de Estado, a verdade é que ter um presidente “negro” era coisa quase tão impensável, há escassos meses, como impensável era ter uma mulher na Casa Branca, sem lá estar como mulher a dias ou, vá lá, como primeira Dama. Isto já sem falar na improbabilidade de ter como Presidente um gay assumido (sem ter saído do armário, parece que foram mais que um).

Afinal, acabámos mesmo por ter na Casa Branca um Pregador “Negro”, no qual todas as esquerdas da costa leste americana e da Europa depositam desproporcionadas esperanças. E digo desproporcionadas porque o que se espera do Obama, ao que parece, é que seja tudo menos um Presidente Americano e se preocupe não com o bem estar e os interesses dos americanos, mas com as idiossincrasias da rapaziada que viveu oito anos frustrada com a presidência do Bush filho que, grande malandro!, se preocupava com a segurança dos americanos e depois, só muito depois, com os direitos humanos de putativos terroristas e outros suspeitos.

Também não lhe perdoam, naturalmente, que essa política tenha redundado em sete anos livres de atentados em solo americano e num fim de mandato com o Iraque praticamente pacificado (veja-se o que foram as eleições de Janeiro).

Olhando para além das aparências e procurando mais informação sobre o político, vemos que Obama é um Presidente muito, muito bem preparado para o cargo, nomeadamente no conhecimento do mundo fora da América, que é o habitual calcanhar de Aquiles dos titulares deste cargo. Não se via nada assim, pelo menos desde John F Kennedy – um mau Presidente, mas um Presidente cosmopolita, bom rapaz e mulherengo, bem ao gosto dos europeus. Isto para além de ser católico e ter uma mulher jovem, vistosa, afrancesada e aristocrática.

Obama teve o bom senso de escolher muito bem a equipa que levou para a Casa Branca, reunindo gente competente e experiente, desde membros do gabinete de Clinton, um membro proeminente do gabinete Bush (o Secretário da Defesa Gates, em grande parte responsável pela melhoria da situação no Iraque) e a sua arqui-rival na corrida à Casa Branca, Hillary Rodham Clinton.

Naturalmente, não nos podemos esquecer de que os interesses dos States não mudaram só porque mudou o inquilino daquela Casa e que toda a gente se lembra (lembra?) do triste resultado que deu o plantador de amendoins feito Presidente ter arvorado os direitos humanos em pedra de toque da política externa americana. Carter não só foi despedido ao fim de um único mandato como teve uma presidência desgraçada que culminou com a invasão da embaixada Americana em Teerão e a tomada de reféns, todos os que lá estavam, por uns longos e penosos quatrocentos e quarenta e quatro dias.

Em resumo, diria que Obama tem condições para fazer uma boa presidência, nos dois mandatos a que pode aspirar, mas calma, muita calma com as expectativas: o homem é Presidente dos USA e não a Madre Teresa de Calcutá!

Marques Correia